82ª. Festa de São Sebastião

A 82ª. FESTA DE SANTA INÊS E SÃO SEBASTIÃO EM DONA INÊS – PB

 

Viva São Sebastião!

A festa em praça pública nesse ano de 2016 foi de grande sucesso, muita animação e muitas alegrias para os participantes. As atrações musicais animaram a multidão do início ao fim. Não tinha ninguém parado em todo o circuito da festa.

O Prefeito Antonio Justino recebeu amigos e correligionários na grande tenda montada à direita do palco, oferecendo um drinque e uma atenção especial a todos que passaram por lá. Veja como foi.

 

Os Preparativos e Organização

A estrutura da festa contou com o palco principal (+ camarote), o grande e belo parque que foi montado na Praça do Cemcap e as barracas (com mesas e cadeiras) que ocuparam as laterais da praça de eventos. Havia muito espaço para o povo dançar e em grupos, fazer sua festa (paquerar, beber, conversar).

O Prefeito contratou as bandas junto às indicações e contatos realizados por Marcio Campos, assessor conhecedor da área, que ficou responsável pelo apoio às atrações, desde a recepção, camarotes, tempo de shows, etc.

A decisão de  realizar a festa, tomada logo depois do Ano Novo foi uma aposta fácil quando se refere à tradição, que cria a expectativa em todo o povo de casa e naqueles que aproveitam para vir de outras regiões visitar as famílias; mas foi uma aposta ousada devido aos problemas advindos da crise econômica que passa o país e, problemas da seca, que se alastra desde 2011, obrigando o abastecimento por carro-pipa e a declaração de estado de emergência. E a decisão se mostraria acertada com os acontecimentos que antecederam os Festejos, pois a chuva veio colaborar com a paisagem, com o homem do campo e com o armazenamento de água.

Como disse o Alcaide: “Com tradição não se brinca!”.

A estrutura de ruas com limpeza, acessos, barramentos; espaço para barracas, tendas, contatos com parque e coordenação geral ficou a cargo de Carlos Polaco (Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente) e sua equipe.

No local da festa havia uma tenda da Saúde, onde um Servidor de plantão distribuía ‘camisinhas’ e panfletos, principalmente de prevenção contra a dengue.

 

A Festa Religiosa (tudo)

Foto 1: Padre Zé Floren celebrando missa em Dona Inês - 2016

A Igreja Católica realizou extensa programação, do dia 15 ao dia 24. Como vemos na programação abaixo, muitas missas, bingos, shows e a fantástica procissão que percorre as principais ruas da cidade. Detalhe para as casas com faixas vermelhas nas janelas e as imagens de São Sebastião. Muita gente nas esquinas esperando a procissão passar para depois acompanhar. Algumas celebrações se tornam por demais especiais, por serem realizadas por Padres que já passaram pela Paróquia de Dona Inês, como Josephus Floren, Robinho Silva, ou por serem filhos da terra como Monsenhor Nicodemos e Padre Renato.

Foi maravilhoso ver o Pe. Zé Floren, como conhecemos, celebrar uma missa, depois de muitos anos. Ele celebrava a missa campal na Av. Manoel Pedro e se enchia de gente vinda de todas as comunidades rurais. Quando cheguei na Igreja, que ele trabalhou para construir juntamente com os fiéis, estava acontecendo a Adoração do Santíssimo e a casa de Deus estava lotada. Depois houve um bingo e a apresentação de uma banda que cantou muitos louvores.

Foto 2: Programação

 

A Véspera (chuvas)

Desde 2010 que não caiam chuvas regulares no mês de janeiro. E em 2016 as chuvas caíram, num momento muito crítico, com muitos açudes secos, abastecimento em verdadeiro colapso e muitas famílias enfrentando problemas para sobreviver, outras comprando água para as cisternas. Assim, as chuvas caídas em janeiro trouxeram a grande dádiva divina e por sua quantidade, deram novo ânimo ao povo, que além de ir às plantações e ter seus depósitos cheios, sentiram a necessidade de agradecer aos Santos Padroeiros pela graça alcançada. Teve início a procura por tratores da Prefeitura para o corte de terra antecipado e os pagadores de promessa surgiram, felizes pelas graças alcançadas. E a verdadeira noção e conceito de festa santa veio à tona, pois de faz festa ao padroeiro para agradecer pelos pedidos realizados, pelas graças alcançadas.

O Cajueiro estava seco e está sangrando. O Tanque Velho estava seco e está quase cheio. Por algum tempo, a população terá água para beber e para consumo (lavar roupas, tratar animais, lavar a casa, limpar veículos) sem precisar de carro-pipa.

Sexta-feira, 18:40, o local da festa acabava de receber uma chuva fina. Havia o temor de que seria assim durante o fim de semana. Chuva, estiada, chuva, forte ou fraca, ou aquela que fica caindo bem fininha. A previsão do tempo (Climatempo online) que antes dava previsão de chuvas no sábado e tempo de sol entre nuvens no domingo, havia mudado para chuvas nos dois dias. E assim seria uma festa molhada. Mas se estavam todos contentes com a chuva, reclamar do quê? Mas o Santo mudou o tempo e não caiu um pingo durante as apresentações.

Parecia que a festa havia começado, movimentação intensa na região, um paredão a postos chamando para a marcação de um bingo com premiação de 500 reais atraia o pessoal. E os das barracas arrumavam daqui, de lá, para deixar tudo pronto e outros já faturavam nas bebidas e comidas.

 

O Futebol – sábado à tarde

Foto 3: Seleção de Dona Inês que enfrentou o Auto Esporte

Se em 2015 realizamos um jogo especial com os antigos atletas que já passaram pelos gramados e na época celebramos o aniversário de 50 anos de um jogador dos anos 80, em 2016 realizamos um jogo amistoso entre a Seleção de Dona Inês (bastante reforçada com jogadores convidados) e o Auto Esporte Clube, da capital paraibana, comandado por Índio Alagoano (Campeão da Copa do Brasil pelo Juventude – RS), clube que vai disputar a Primeira Divisão, clube que durante décadas foi uma das 4 forças do futebol paraibano. O jogo se deu no dia 23 janeiro, no Estádio Municipal, ingressos vendidos a 5 reais. O jogo foi transmitido pela Rádio Talismã FM de Belém.

Entre os atletas donainesenses estavam Negão Paraiba, Luís Carlos, Jean, Deuzin, Carlinhos, Denizar e Wagner.

Depois do futebol, as equipes foram para a Pousada Parque das Águas (83 98132-9139) onde comeram, fizeram fotos e distribuíram algumas camisas oficiais do Auto Esporte aos organizadores e ao Prefeito Antonio Justino.

 

A Primeira Noite – sábado

Foto 4: Foto no site da Banda

Começou cedo porque havia 4 bandas para se apresentar e a ordem é parar às 4 da manhã. O som contratado era muito bom, qualidade excelente e quem canta bem, toca bem, se fazia ouvir muito bem.

A primeira foi a Banda 3 & 2, formada por artistas locais, músicos formados através dos programas sociais implantados pela Prefeitura, e que fizeram uma boa apresentação, servindo para atrair o público, curioso de vê-los estreando na maior festa da cidade – o que para eles foi um grande prazer, como divulgaram nas mídias sociais.

A segunda a subir ao palco às 11:20h foi Forrozão dos Top’s, formada por Marcone e Linduarte, artistas da Terra já consagrados que tem na desenvoltura no palco uma das grandes qualidades, pois enquanto cantam, movimentam bastante. Executaram melodias próprias e de outros artistas fazendo uma boa performance.

A terceira foi Forró Bakana, (00:45h) a principal da noite, que entrou no palco com grande alarde, explodindo fogos de artifício e movimentando bastante a galera. Naquele momento a praça estava lotada de pessoas dançando, bebendo, falando, gritando, cantando junto, era um êxtase profundo o que se via passando pelo meio da multidão. A banda levou chamou algumas garotas da platéia para rebolarem enquanto realizavam dancinhas provocantes. E muita gente observava as bandas na lateral, ali próximo a tenda oficial.

E na tenda oficial, desde muito cedo, o Prefeito e sua esposa, o secretariado e principais assessores, vereadores e correligionários faziam a festa e comemoravam com pompas, muitas fotos, conversês e alegria.

O parque trabalhava sem parar e havia muitas crianças nos brinquedos, alguns novos, bacanas, que atraiam os pequenos e pequenas , fazendo os pais desembolsarem seus trocados. A roda gigante não parava um minuto.

A quarta banda foi Pegada com Estilo, (02:50h) fechou a noite cantando até as 4 da manhã para o público que sustenta o cansaço e o sono, dançando e bebendo.

 

A Procissão de Santa Inês e São Sebastião – domingo

Foto 5: Final da Av. Manoel Pedro

A tradição se mantém firme (menos aquela do povo pintar as casas no fim de ano para a chegada dos festejos do Natal e o Padroeiro) e o povo foi às ruas levando os andores dos padroeiros e elevando cânticos de louvores, com carro de som animando. O Padre Anselmo e o Vigário da Diocese comandaram os fiéis. O trajeto foi: Igreja – Rua do Colégio – subida da José Paulino – descida da Antonio Toscano – Rua João Pessoa – Av. Manoel Pedro – Praça do Trabalhador – Av. Major Augusto Bezerra – subida pela Ana da Conceição Melo – Igreja. As ruas tomadas de fiéis e recebendo os atrasadinhos, que esperavam nas esquinas, muita gente fotografando as casas com as faixas em homenagem aos padroeiros, famílias nas portas e janelas; e muita emoção para os novatos, jovens que estão começando essa saga de devoção e principalmente para os mais velhos, que se orgulham de participar desde sempre, alguns fazendo questão de carregar o andor ao máximo possível. Os fogos servem para chamar, para agrupar, para direcionar... e pareciam os mesmos fogos que se ouviam há várias décadas, com as sensações de repetindo. A fé que nos move é soberba!

“Salve o nosso Santo Padroeiro, foi soldado e foi guerreiro...”

 

A Segunda Noite – domingo

Foto 6: Foto no site da Banda

A tradição fala mais alto. Desde sempre, a noite de domingo tem sido a de maior número de pessoas. E não foi diferente dessa vez. O povão começou a chegar logo cedo. Atraídos pelo parque e pelas barracas de comidas e de jogos, muita gente vai se aproximando e ficando. Para muitos as novidades encantam, querem experimentar os brinquedos, alguns imperdíveis. Há quem sonhe em degustar a maçã do amor. Tem os jogadores contumazes que imaginam ganhar uma bolada no jogo. E os que se encantam com as luzes do palco, do parque, das barracas e se misturam no movimento de pessoas, curtindo a boa sensação de estar presente e fazer parte de um momento tão bacana.

A festa corria solta, era mais de meia-noite e ainda havia gente chegando. Incrível que alguns chegavam com mesas e caixas térmicas lotadas de cervejas a procura de um espaço no melhor local da festa – sendo que não havia mais lugar. Mas conseguiam dar um jeito de se estabelecer e curtir.

Neco Lobão e Banda - A primeira banda da noite a se apresentar, fez um grande show, gravando ao vivo para mais um DVD. Bastante experiente nessa festa, Neco Lobão é certeza de um show seguro, animado, e o que sobressai é o repertório, sempre muito bem escolhido. A banda muito bem armada consegue executar tudo com muita exatidão.

A segunda foi Banda Encantus (00:20h), renomada por suas baladas românticas e muito esperada pela galera que esperava para vivenciar os momentos mais românticos da festa. A cantora atendeu os fãs e fez vários selfies com os celulares da platéia, demonstrando seu carinho. Ao final do show os fãs foram para a porta do camarote e fizeram fila para fotografar com os ídolos.

A terceira foi a Banda Aveloz (03:00h) e começou com “Quando faz amor, se olha no espelho”, grande sucesso do passado que ainda mora nas lembranças das pessoas e daí em diante levou a festa até o seu final, tocando antigas e novas melodias.

 

O Visitante Ilustre

É você que deixou todo o seu conforto do lar e veio visitar a sua terra, a sua família, rever os amigos, botar os papos em dia, fazer o que é bom. Com um clima agradabilíssimo de montanha, com chuvas fracas e fortes, o verde tomando conta da paisagem, o calor humano que irradia de cada casa, de cada pessoa. Vi muita gente vinda da Capital, do Rio, de São Paulo, de Belo Horizonte, de Fortaleza, de Natal, de Brasília, de Recife. E das cidades vizinhas, que vieram aos montes. Vamos citar alguns nomes: Lucinha Bolachinha, Givanilda Bezerra, Sueli Lúcio, Damião Macário, Marcos Cantalice, Joseilton Fernandes, Gerson Frazão, Noelmo Araújo e Adriana, Ana Kárite, Zezinho Santos, Risoldo Filho, Junior Bento, etc.

 

O Deputado Rômulo Gouveia

Foto 7: Prefeito Antonio Justino e Deputado Rômulo Gouveia

O Deputado Rômulo, filho adotivo de Dona Inês, votado no município, amigo pessoal do Prefeito, já é figura carimbada nas festas de São Sebastião, e mais uma vez esteve presente. O Prefeito Justino convidou amigos e correligionários para recepcioná-lo em sua residência. E vieram também comitivas de políticos de outras cidades como Tacima e Damião, tratar de apoios nas próximas eleições.

Rômulo é de uma simpatia fora de série e conversa com todo mundo, fotografa, está sempre pronto a ajudar, apontar uma solução e encaminhar emendas para Dona Inês. Concedeu várias entrevistas para rádios da região, como Talisma FM e Integração.

 

O Helicóptero

Durante os dias de festa, havia um helicóptero realizando sobrevôos na cidade, levando quem tinha o sonho de voar sobre a sua cidade, ao preço de 70 reais por pessoa. A idéia de trazer o helicóptero foi de Zezinho Gravações e Rodrigo Cds. Foi mais um atrativo para os dias de festa, pois a todo momento ouvia-se a zoada dos motores sobre nossas cabeças e também se podia ver os pássaros em debandada, sem entender que pássaro grande e barulhento era aquele.

 

A Movimentação na Cidade – movimento, paredões

Foto 8: Movimento intenso nas ruas

Uma das características mais interessantes da festa do padroeiro é que a cidade se vê invadida por centenas de visitantes durante o dia. Na zona rural não é diferente. Em toda comunidade chega alguém.

Dando um rolé pelas ruas na tarde domingo, vimos a intensa movimentação de pessoas formando grupos em calçadas de bares e na pousada, a presença de paredões zoando, competindo e animando a galera. Um dos points é a Praça do Trabalhador. Em ruas pacatas durante todo o tempo, era possível ver filas de carros estacionados e até congestionamentos. De repente surgiam várias motos indo e vindo, com os jovens procurando novas sensações.

Pessoas nas calçadas comentando a noite anterior, planejando a noite vindoura, outros bebendo cerveja como se fosse água, embalados pela força da juventude, e as visitas aos amigos, aos parentes. Tudo isso se podia ver com certa intensidade. Quem seria capaz de dizer quantos almoços, jantares, churrascos aconteceram em toda a Dona Inês durante essa semana de festejos?

 

Tradição perpétua

Foto 9: Poeta Mariano Ferreira e Noelmo Araújo comprando suas bolachinhas - tradição!

Foi proposital. Deixamos para o final falar da bolachinha, essa tradicional figura que está em todas as festas de São Sebastião. As barracas chegam, ficam superlotadas de ‘pães de festa’, e parece que ninguém vai comprar, mas no fim da festa, não sobra uma pra contar história. E foi assim novamente este ano. No domingo, de repente compraram todas. E como é gostoso tomar o café com o cheiro de erva-doce da bolachinha. Tudo bem que algumas já estão bem endurecidas, até mofo apresentam nas bordas (vindas de outras festas), mas tirando a casca, dá para o consumo. E percebemos que o pessoal da Zona Rural é quem mais compra, para tomar o café da manhã e dar o primeiro combate a ressaca.

 

 Festão 

Foto 10: Fotos e Vídeos estão em álbuns no facebook oficial da Prefeitura. Acesse para vê-las.

 

Texto e fotos: Geraldo Guilherme

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!